ESTILOS ARTÍSTICO ARQUITETÔNICOS
PÓS GREGOS E ROMANOS

Marcel de Almeida Freitas                 
Prof. Antropologia/Psicologia Social
UNIP – Belo Horizonte, MG                


ESTILO NEOCLÁSSICO
.


neoclassico01.jpg (12966 bytes)
.

  • Não obstante seja uma forma de ecletismo, merece comentário à parte em função da amplitude de sua abrangência;

  • Como uma espécie de retorno à Renascença Clássica, o final do século 18 fez surgir outra vez edifícios idealizados, esculturas plásticas serenas, música harmoniosa, literatura equilibrada.

  • Também foi denominado ‘academicismo’;

  • Foi um retorno arcaizante aos estilos greco-romano e renascentista;

  • As superfícies são lisas e decoradas abstratamente; os pórticos enormes derivam dos templos gregos;

  • O formalismo é refinado e enfatiza os frontões como as principais guarnições nos edificios;

  • De modo mais conservador, opta por uma arquitetura racionalista, sóbria e maciça;

  • A influência do Renascimento dá origem ao sub-estilo pompeano;

  • Os volumes geométricos são a principal característica desse estilo como, por exemplo, no Teatro Odeon em Paris;

  • Morfologicamente se liga aos preceitos lineares e plásticos do renascentismo;

  • Privilegiou materiais nobres como o mármore, esquemas ortogonais, formas simétricas, murais lisos, volumes encorpados, pórticos colunados, frontões triangulares;

  • Predominam os volumes geométricos regulares, solenes e pouco ornamentados;

  • Estende-se de 1750 até 1850, sendo um ressurgimento mais racional que o Renascimento dos valores greco-romanos;

  • No plano da literatura e das letras, a designação habitual era ‘romantismo’, uma referência às ficções e romances medievais;

  • Foi, entre outras coisas, uma reação contra a ordem social, o individualismo e o urbanismo;

  • Os sentimentos revivalistas prolongaram-se mais na arquitetura que nas outras artes;

  • Os jardins, que ficaram conhecidos como ‘ingleses’, buscavam acabar com a geometrização, pois essa não seria próxima da natureza;

  • Os caminhos eram serpenteados, com arbustos, lagos e fontes dispostos ‘aleatoriamente’;

  • Exemplos: a residência do presidente norte-americano Thomas Jefferson (ordem dórico-romana) e a Catedral Metropolitana de Buenos Aires;

  • Foi um estilo percebido como mais ‘masculino’ que o rococó e o barroco, por exemplo.

VISITE O BLOG DA PITORESCO